clube-dos-bancarios-logo-e-selo-1-1

Em 27 de maio de 1956, 43 bancários, funcionários dos Bancos do Brasil, Comercial do Estado de São Paulo, do Estado de São Paulo (Banespa) e Moreira Sales, os únicos então existentes na cidade, resolveram fundar um Clube, que inicialmente se denominou Esporte Clube Bancários. Reuniram-se naquele dia, na sede do Grêmio Estudantino Fernando Prestes, rua Campos Sales, 175, nesta cidade e ali, após discussões, palpites e considerações diversas, decidiram eleger a primeira diretoria do Clube, a qual cuidaria das demais providências relativas à composição do quadro social, bem como da elaboração do Estatuto Social.

O primeiro Estatuto do Clube foi aprovado em Assembléia Geral realizada em 05 de setembro de 1956 e a comissão especialmente designada para sua elaboração foi constituída dos seguintes sócios bancários: Adalberto Cardoso de Almeida, Rodolfo Miranda Leonel Jr., Benedito Aristeo de Barros, Antonio Luiz Duarte Jr. e Ramiro Vieira de Moraes. O Clube era destinado exclusivamente aos bancários e seus familiares e se instalaria em uma sede de campo, que foi o objetivo, o caminho e a idéia vencedora entre os seus fundadores. Não seria simplesmente mais um Clube, igual aos outros que aqui já existiam.

Sua primeira Diretoria, eleita em 27/05/1956 foi assim constituída: Presidente: Mario Martins (Banco Moreira Sales), 1º Vice-Presidente: Evandro de Oliveira Melo (Banco do Brasil), 2º Vice-Presidente: Antonio Luiz Duarte Jr. (Banco Comercial), 3º Vice-Presidente: Armando Moraes (Banco do Estado), 1º Secretário: Mario Alves de Camargo (Banco do Brasil), 2º Secretário: Samuel de Lara (Banco Moreira Sales), 1º Tesoureiro: Benedito Aristeo de Barros (Banco Moreira Sales), 2º Tesoureiro: Benedito Camargo Rosa (Banco Comercial), Orador: Mauro de Melo Leonel (Banco do Brasil), Diretor Social: Artur Alvim de Lima (Banco do Brasil) e Diretor Esportivo: Gilberto Correa da Silva (Banco do Brasil).

Em agosto de 1956, o Clube conseguiu, por um bom período, a cessão de uma espaçosa sala, em um prédio que pertencia à Associação Atlética de Itapetininga e que foi a residência do Cel. Antonio Vieira Sobrinho, conhecido e estimado Cel. Toniquinho Pereira, e ali foi, então, a sua sede provisória. Aliás, a cessão dessa sala foi feita por intercessão e auxílio do Cel. Toniquinho. Naquele local, hoje prédio da Franciosi Imóveis, porém com entrada pela Rua D. Joaquim, os associados do Clube poderiam se reunir ou serem atendidos nos dias úteis das 19h30 às 22h30, no sábado também funcionava das 13h30 às 17h30, além do horário noturno. Quanto aos domingos e feriados, essa sede funcionava das 9h às 11h e das 13h30 às 17h30.

Do entusiasmo à realidade não foram pequenas as dificuldades, os embaraços e os obstáculos para a escolha e compra do imóvel, inicialmente não o que temos hoje, e ainda a formação de recursos financeiros para pagá-lo. Fazia-se um pouco de tudo, reuniões com venda de churrasco, almoço, jantares promocionais, rifas, sorteios e a cotização e mensalidades de cada um dos integrantes daquele pequeno grupo. Mas conseguiu-se em 1960, a compra do imóvel onde hoje estamos junto aos irmãos Barsanti e depois de outros que possuíam lotes adjacentes, acontecendo alguns anos depois, o que obrigou a modificação no Estatudo do Clube, o ingresso de sócios não bancários, entre eles os que pertenciam ao Clube dos 200, numa operação que se denominou triangular, pois envolvia Clube, Construtora Tardelli e Clube dos 200. Surgiu, daí, a primeira piscina, aquela em forma de ameba, ou de um oito, como dizem alguns, vestiários, restaurantes, etc.

O Clube foi crescendo paulatinamente. Foram surgindo as duas primeiras quadras de tênis, sauna, uma quadra de vôlei, basquete e futebol de salão, piso de cimento e descoberta, o primeiro campo de futebol, onde hoje possui iluminação, o parquinho de diversões, o ginásio poliesportivo, os campos de futebol society, a primeira piscina semi-olímpica, outras quadras de tênis, os primeiros quiosques, calçamento ou pavimentação interna, o campo de futebol beira lago e depois mais um ao lado, a academia de ginástica, a cobertura, fechamento e iluminação de duas quadras de tênis, a piscina aquecida e, por último, o refeitório dos funcionários.

Neste meio século de existência, 18 (dezoito) foram os Bancários que exerceram a presidência da diretoria do Clube: Mario Martins, Adalberto Cardoso de Almeida, Luiz Carlos Americano Freire, Oswaldo Florentino da Silva Junior, Antonio Dias Ferraz, Laudo Bernardes dos Santos, José Bastos, José Cláudio Nunes Dias, Dilceu João, Chain Schatan, Euclides Crisostomo de Campos, José Alberto Medeiros, Geraldo Paiva Pereira, Luiz de Campos, João Vianney Bastos Martins, René Vieira da Silva Junior, Francisco Roberto Ziglio e Lucio Lemos Piedade.

Hoje, em seus 140.360 m2 de área, aproximadamente, estão concretizados nada menos que 3 campos de futebol (1 com iluminação), 2 campos de futebol society (1 com iluminação), 8 quadras de tênis (2 delas cobertas e com iluminação) 1 ginásio poliesportivo, 2 quadras externas de piso frio para vôlei, basquete, futebol de salão, cobertas, ambas com iluminação, 2 piscinas externas, descobertas, sendo uma semi-olímpica, 1 piscina semi-olímpica aquecida, sauna, academia de ginástica, parque de diversões, bar e restaurante, 6 quiosques, refeitório para funcionários, estacionamento, muita arborização e muito verde. Tudo isso, graças ao trabalho constante e determinação de todas as administrações e ao apoio e participação fundamental e importante de nossos associados, a nossa melhor força.

Assim queremos continuar, fazendo a cada dia, em todo tempo, um Clube atuante, atrativo e moderno. Atualmente, empenha-se a diretoria em obter autorização do CONDEMA para abate de algumas árvores para dar início à reforma e ampliação do seu salão de festas, bar e restaurante.

Pular para a barra de ferramentas